Passar para o Conteúdo Principal

Santa Casa da
Misericórdia

Vila do Conde

Desde 1510 ao serviço da Comunidade.

Centro Interpretativo de Memórias da Misericórdia de Vila do Conde

Cimmvc 1 900 500
06 Julho 2018

Centro Interpretativo de Memórias da Misericórdia de Vila do Conde


A Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde inaugurará no próximo dia 13 de julho, pelas 16h, o CIMMVC – Centro Interpretativo de Memórias da Misericórdia de Vila do Conde.

A história da Instituição alicerça-se num património sociocultural, assistencial e caritativo com mais de quinhentos anos de existência, tornado visível nos diversos espaços que o seu Centro de Memória disponibiliza aos visitantes:

• Piso 0 – Auditório Multiusos
                Exposições temporárias
                Arquivo histórico
• Piso 1 – As Catorze Obras de Misericórdia
• Piso 2 – Misericórdia de Vila do Conde: História e Expansão
• Piso 3 – Iconografia da morte de Cristo
                Leitor de paisagem
                Quiosque digital
                Registo de memórias


Este equipamento foi cofinanciado pelo Programa Operacional da Região Norte: ON.2.
O seu projeto museológico teve por base duas linhas orientadoras. Numa vertente mais tradicional, o seu objetivo prende-se com a exposição do espólio, preservação e divulgação do acervo documental e das obras sociais da Instituição. Um espírito prospetivo e vanguardista recorre à utilização das novas tecnologias para emprestar uma nova dimensão à representação cénica, conferindo mais riqueza à narrativa histórica e promovendo diferentes registos de interação com o público.

A partir do dia 14 de julho, o CIMMVC estará aberto de terça a sábado, entre as 14h e as 18h.
Na sua mensagem, o Sr. Provedor formula o seguinte desejo: “Atenta à evolução dos tempos e ao aparecimento de novas realidades sociais e económicas, a Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde confia o garante da sua dimensão caritativa e assistencial às gerações vindouras…concretizado, de forma comprometida e dedicada, na prática de gestos de bem-querer e bem-fazer”.